PARA TUDO! Encontramos o “tal” da Estrela de Oswald

Na micropigmentação, conhecer a Estrela de Oswald e a teoria das cores é tão importante quanto saber fazer um bom desenho, ter um bom dermógrafo ou dominar as técnicas.

Certa vez, durante uma palestra ouvi “Mas afinal, quem criou essa estrela? QUEM É OSWALD?”, uma pergunta interessante que se tornou um desafio pessoal, descobrir quem é “o tal” do Oswald.

Apesar da dificuldade, pois só era conhecido seu sobrenome, encontramos “famoso desconhecido” Friedrich Wilhelm Ostwald.

Friedrich Ostwald foi um químico e filósofo alemão, nascido na cidade de Riga, Letônia, em 2 de setembro de 1853 e faleceu em Leipzig, Alemanha, no dia 3 de abril de 1932.

Considerado o pai da físico-química, recebeu o Nobel de Química de 1909, por seu trabalho sobre catálise. Também desenvolveu um processo de fabricação de ácido nítrico por oxidação do amoníaco.

Sua paixão final foi pela teoria das cores e após a sua aposentadoria dedicou-se a este estudo e sobre a percepção de harmonias. É autor do livro The Colour Primer de 1916.

harmonia da estrela de oswald

Ostwald encontrou Albert Munsell nos EUA em 1905 e ambos tentaram elaborar um sistema baseado na percepção e equalização das diferentes cores.

É possível dizer que Ostwald tentou construir um sistema perceptual de cores utilizando métodos não empíricos.

A teoria das cores de Ostwald pode ser resumida como a mistura universal, ao invés de utilizar os três parâmetros que Munsell utilizou, ele selecionou três grupos diferentes de cores considerando:

  • Conteúdo de Cor
  • Conteúdo de Branco
  • Conteúdo de Preto

Para iniciar sua pesquisa, Ostwald estudou o espectro de Newton e notou que não estava completo, pois as cores em faixa não mostram a combinação da cor azul com a cor vermelha.

Por isto, Ostwald separou as cores cromáticas e acromáticas. Organizou as acromáticas em uma escala de cinzas ao longo de uma linha com oito graduações.

As cores plenas foram organizadas em círculo completo baseado no sistema de Hering.

Começa com quatro cores básicas, amarelo no norte, vermelho no leste, azul no sul e verde no oeste.

Entre cada cor plena foram acrescentadas mais uma cor, sendo, laranja entre amarelo e vermelho, violeta entre vermelho e marinho, turquesa entre marinho e verde, verde-folha entre verde e amarelo.

Com essas oito cores, Ostwald construiu 24 tonalidades ao longo do círculo.

Partindo das cores plenas, ele construiu as cores claras e escuras perceptualmente distantes do branco e do preto, respectivamente. Quanto mais afastadas das cores plenas mais sujas eram as cores.

Cada cor suja pode ser definida pela mistura de uma tonalidade com cinza originado do preto e do branco.

A análise feita por Ostwald sobre as harmonias das cores teve o objetivo de entender porque algumas combinações de cores eram agradáveis (harmônicas) e outras desagradáveis.

Para identificar as harmonias, ele definiu uma lei onde a harmonia é igual a ordem.

Após estes estudos, Ostwald propôs uma visão sem círculo, em formato de estrela, de modo que, poderia-se observar todas as combinações do espectro de luz.

A estrela de Ostwald que conhecemos atualmente é originá-ria da estrela abaixo.

?>