Vaidade, tem limite?

“Não há nada de mal em ser vaidoso, as pessoas tem que se cuidar!”

Olá, pode parecer estranho um blog sobre estética questionar a vaidade e o limite dela, mas somos, acima de tudo, pessoas comuns que trabalham em uma área que mexe com as emoções de seus clientes.

A vaidade está na natureza humana. Todos sentem prazer quando, se distinguem positivamente em relação aos demais. A maioria das pessoas gosta de ser aprovada e admirada pelo seu grupo social. Principalmente o brasileiro, que tem tendência a valorizar muito a aparência e é super flexível para testar novidades. Isso faz com que o país consolide a cada ano a posição de um dos mercados mais promissores para a indústria cosmética e da beleza.

Em 2013, passamos os Estados Unidos em número de cirurgias plásticas, foram mais de 1,49 milhão, isto corresponde a quase 13% de todos os procedimentos realizados no mundo, 23 milhões.

Um estudo do Instituto de Pesquisa Datafolha encomendado pela SBCP mostrou que 73% das cirurgias realizadas no País são estéticas e apenas 27% reparadoras ou reconstrutoras.

Estes números mostram como a vaidade tem poder sobre o comportamento do brasileiros e para exemplificar o que a vaidade pode causar as pessoas, busquei um caso recente que você confere abaixo.

Em Dezembro de 2014, Andressa Urach, apresentadora do MultiShow, teve complicações com a aplicação de hidrogel, um líquido constituído de poliamida sintética e solução fisiológica, utilizado, para corrigir casos de assimetria de tecidos moles, como glúteos, panturrilhas e coxas. Em Julho de 2014, começou a ter complicações com o excesso do produto e tendo que retirar 400 ml do produto de cada perna, mas os resquícios que restaram causaram uma infecção.

Devido a infecção, Andressa teve que se submeter a cirurgias, que quase a levaram a morte, para remover este produto. Confira a baixo as imagens pós-cirúrgicas da apresentadora.

Em entrevista com a Daily Mail, Andressa deu um depoimento que acho que todo mundo deveria ouvir:

“Tenho vergonha dos buracos nas pernas, as cicatrizes estarão lá para o resto da minha vida. Mas elas também são um troféu que eu tenho por estar viva. Era extremamente vaidosa. Tudo em busca da perfeição. A cirurgia plástica tornou-se um vício para mim. Mesmo quando o hidrogel começou a me causar problemas e eu comecei a removê-lo, estava na mesa de cirurgia planejando o próximo procedimento que eu queria fazer. Eu planejava ter uma das minhas costelas removidas para ficar mais magra, e tirar um dos dedos do meu pé para que ele ficasse mais fino. Eu estava fora de controle”, confessou.

Além de Andressa, a vaidade sem controle também tomou posse de outras pessoas que em busca da “perfeição” abusam dos procedimentos estéticos e cirúrgicos, como o caso da Barbie e do Ken humanos.

E também a vaidade dos super tatuados, que buscando se destacar e se tornar algo diferente, cobrem o corpo com arte.

Enfim, para você, vaidade tem limite ou tudo vale enquanto não se sentir feliz?
Aguardo suas opinião lá no nosso face ou aqui mesmo no Blog :D

Até mais.

Fontes: VejaSP | DiarioWeb | Comunhão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

?>