As 10 Perguntas mais Frequentes da Micropigmentação

Por estar há mais de uma década trabalhando com micropigmentação, já vivenciei muita coisa boa e obviamente muita coisa ruim. Esta experiência me serviu de alicerce para desenvolver a profissional que sou hoje.

Foram anos sentindo na pele as dificuldades do mercado e formando parcerias para que pudesse me esclarecer e saciar minha sede de conhecimento. Para que você evite passar pelo que eu passei, separei 10 das perguntas mais frequentes que recebo via redes sociais, e-mail, mensagem de texto e etc.

ps. Compartilhe e comente abaixo quais dicas foram mais úteis à você.

Posso fazer o curso básico junto com os módulos avançados??

Após  o módulo iniciante aconselho primeiro desenvolver a habilidade manual, aperfeiçoar o desenho e executar alguns trabalhos antes de fazer um módulo avançado.

Cursos seguidos podem gerar insegurança devido ao excesso de informação em um curto período de tempo. Ninguém avança na qualidade se não domina o básico. Algumas instituições não se preocupam com isso, mas, por experiência, sei que o aluno fica confuso e perdido nas informações, gerando frustração e levando-o a desistir da profissão.

Na minha opinião o bom aprendizado é aquele realizado com um passo de cada vez.

Fiz uma micropigmentação há quatro dias e saiu tudo. O que eu faço? ?

Por mais pressionada que você se sinta não faça o retoque antes de 30 dias, a pele na primeira semana está se recuperando e se preparando para a cicatrização, neste período é normal a pele apresentar-se sem o pigmento pois o mesmo encontra-se abaixo do processo esperando as capas dérmicas se ajustarem. É normal aparecer nessa fase uma cor avermelhada ou rosada que não tem relação com o pigmento e sim com a fase cicatricial.

A cor será revelada após este processo de regeneração.

Posso usar a mesma agulha para fazer olhos e lábios??

Do ponto de vista da biossegurança, não há problema em limpar a agulha usada nos olhos e posteriormente fazer os lábios, porém, o contrário é perigoso, caso faça os lábios e em seguida use a mesma agulha nos olhos, você poderá transmitir o vírus da herpes, caso a cliente tenha, para os olhos.

Além do mais, em ambos os casos a agulha perde a capacidade de penetração (fica “cega”), machucando desnecessariamente a cliente. Sendo assim, meu conselho é, NÃO faça isso, pela segurança da cliente, pela qualidade do trabalho e pelo baixo custo da agulha, não vale a pena arriscar. Use uma agulha nova para cada trabalho.

Como deve ser o conteúdo do termo de compromisso com a cliente? ?

Esse termo pode ser feito de maneira simples e objetiva e deve constar que a cliente aprovou o projeto, que todas as dúvidas foram sanadas e que ela se compromete a ter os cuidados pós procedimento como foi orientado pela profissional; que ela se sente segura e a vontade para fazer o procedimento. Caso a cliente tenha assimetria facial muito pronunciada é importante que conste nesse termo de compromisso que ela está ciente desse detalhe anatômico e que ao fazer a micropigmentação poderá ou não ficar mais evidente; fotografe o rosto antes e depois e abra um arquivo no seu computador para acompanhar cada caso.

Qual a diferença de neutralização, camuflagem e despigmentação??

Neutralização é corrigir uma cor fantasia, uma cor errada.

  • Ex: Uma sobrancelha colorida, roxa, laranja, verde, etc, precisa ser corrigida para o tom marrom, e fazemos isto trabalhando com uma cor específica de correção, ao invés de simplesmente cobrir essa sobrancelha com outro pigmento qualquer.

Camuflagem é usar cores de pele para fazer correções no desenho,

  • Ex. Utiliza-se uma cor de pele sobre pequenas falhas de desenho em uma sobrancelha já pigmentada, em outras palavras é uma técnica para afinar uma sobrancelha grossa ou disfarçar uma possível diferença de altura.

Despigmentação é a técnica de remoção ou clareamento de um trabalho mal feito.

  • Ex. Utilizar-se de uma maquina elétrica ou de produtos químicos para remover o excesso de tinta e consequentemente clarear o procedimento já cicatrizado.
Pigmentos líquidos migram??

A liquidez não é a causa da migração, os principais causadores deste processo indesejado são:

  1. Pigmento sem boa procedência independente de ser líquido ou consistente;
  2. Profissional com a mão pesada;
  3. Área trabalhada muito vascularizada;
  4. Invasão das zonas de risco dos olhos ou lábios;
Existe um pigmento que não precise de "misturinha"??

Não! Pigmento fiel que se adapta em qualquer pele não existe.

Toda cor castanho ou marrom tem uma temperatura que pode ser neutra, quente ou fria e, por isso, você vai precisar fazer uma prévia avaliação da melanina da pele da cliente para preparar o pigmento que você usa. Não tem outro jeito.

Como lidar com a insegurança da cliente??

Um trabalho tranquilo é sempre positivo, se o processo iniciar-se com a insegurança da cliente poderá ocorrer um desgaste na relação profissional/cliente. A consulta prévia é muito importante, pois desta maneira conhecemos o perfil e os anseios da pessoa e traçamos um projeto para seu rosto através de simulações com maquiagens cosméticas.

Somente quando a cliente se sentir confiante, aprovar o projeto e assinar o termo de compromisso, é que a profissional deverá executar o trabalho. Caso perceba que a cliente continua agitada e insegura, aconselho agendar esse procedimento para outro dia. Às vezes é melhor deixar de ganhar e evitar um conflito.

Uma cliente chegou com um procedimento horrível, como conserto? ?

Primeiro, pergunte-se: “Estou apta a fazer esse trabalho?”

Para fazer uma correção, deve-se dominar todas as técnicas de neutralização, despigmentação e camuflagem. Lembre-se que a culpa sempre sobra para a última que toca, então, se não dominar essas técnicas, não faça esse trabalho, pois a cliente já está com problemas demais em sua autoestima e outro trabalho mal feito pode acabar por prejudicar ainda mais seu emocional. Não aja pelo dinheiro, aja pela consciência e respeito ao próximo. E, se não puder ajudar, não piore as coisas!

Uma cliente quer um trabalho grosseiro e não aceita sugestões, como proceder??

A cliente sempre tem razão? Não!

Quando o gosto dela esbarrar nos critérios técnicos do profissional, devem prevalecer os critérios técnicos, pois é o profissional que estudou e se profissionalizou para entender do trabalho e não a cliente! Pense que cada rosto que fazemos é como se assinássemos um quadro, outras pessoas que enxergarem o seu trabalho na cara de sua cliente nunca acharão que a cliente a forçou a fazer um trabalho não apropriado, a responsabilidade será sua.

Portanto, se não achar adequado um trabalho, não execute!

Bônus

Aproveitei o embalo para compartilhar mais 3 dicas que achei super importante compartilhar com vocês.

Se a cliente precisa de mais de um retoque, pois o pigmento não fixa, devo retocar sem cobrar??

Primeiramente certifique-se de que o problema de implantação não está na técnica, ou seja, se você é uma profissional que está começando, é normal os primeiros trabalhos exigirem mais retoque. Passada essa fase, com dois procedimentos é suficiente para que o pigmento fixe. Faça uma boa avaliação da pele, investigue na ficha de anamnese se há algum problema a ser considerado. E converse sobre quantos retoques ela tem direito.

Como costumo dizer, “o combinado não sai caro!”.

Posso misturar pigmentos de marcas diferentes? (Léo Calheiros Responde)?

Cada fabricante tem sua formulação pronta e o problema não é misturar o pigmento, mas a base emulsificante, conservante e todos os outros compostos químicos de uma formulação.

Muitas vezes as reações não ocorrem na hora da mistura, mais tarde podem causar além de alergias outros problemas mais graves, como, por exemplo, granulomas no local. A quantidade de cada pigmento e cada corante é diferente entre as marcas e isso pode ser muito ruim na hora de criar uma cor ou misturar as cores. Há quem faça isso, mas não vejo necessidade ou cabimento.

Se o profissional possui conhecimento da formulação cosmética e sabe bem quais as reações químicas que poderão acontecer ao longo do processo, dificilmente vai querer misturar marcas.

A alimentação pode interferir na micropigmentação? (Rafael Ferreira Responde)?

No livro “Patologia – Bases Patológicas das Doenças” de Robbins e Cotran, ele lista no capítulo que fala de cicatrização fatores que influenciam na cicatrização, são eles:

  1. Deficiência de proteína e vitamina C na nutrição;
  2. Condições metabólicas como a qual ocorre na diabetes melito;
  3. Má condição circulatória;
  4. Hormônios como corticóides;
  5. Infecção ativa no local da ferida;
  6. Fatores mecânicos como movimentação da ferida;
  7. Corpos estranhos na ferida;
  8. Tamanho, localização e tipo da ferida.

Os alimentos podem impactar negativamente nas cicatrizações de feridas, obviamente que em doses moderadas eles o impacto será mínimo mas sa-be-se das seguintes características:

O excesso de açúcar pode comprometer a cicatrização, pois induz uma reação química denominada de glicação não enzimática, que deteriora as fibras de colágeno.

Os produtos descarboxilados gerados nas frituras aumentam a carga de radicais livres do organismo, gerando um estresse oxidativo e intensificando à cascata inflamatória.

Não encontrei evidências para os frutos do mar, eles são alimentos que podem gerar

Gostou das dicas? Então, compartilhe e comente abaixo quais foram mais úteis à você.


?>